As muitas faces de Jorge

São Jorge_crédito Fábio Caffe

Todo dia 23 de abril a cidade do Rio de Janeiro veste-se e arma-se com as roupas e as armas de Jorge, para que “nem mesmo um pensamento os inimigos possam ter para lhe fazerem mal”. Dezenas de milhares de pessoas acorrem às igrejas como a dos Veneráveis Mártires São Gonçalo Garcia e São Jorge, localizada no Campo de Santana, antes mesmo de raiar o dia. São homens e mulheres que, ao longo do ano, enfrentam o dia a dia, batalhando por si e pelos seus. Devotos do santo que estão acostumados a distinguir sua imagem matando o dragão nas sombras das crateras lunares, visíveis nas noites de lua cheia…

O Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular apresenta a mostra “As muitas faces de Jorge”, que traz os aspectos da devoção a São Jorge em várias partes do mundo e, sobretudo, na cidade do Rio de Janeiro, local onde a sua devoção é especialmente expressada.

Na mostra, o público pode descobrir o mito católico de Jorge da Capadócia, e como a fé nesse santo se espalhou por várias partes do mundo. No Brasil, São Jorge tornou-se padroeiro de categorias de ofícios, principalmente as ligadas ao ferro e ao fogo, bem como aquelas relacionadas a situações de combate. São ferreiros, serralheiros, barbeiros, funileiros, cuteleiros, que até os dias atuais relacionam sua profissão à proteção do santo.

Possivelmente vem dessa referência o sincretismo de São Jorge com Ogum, nos terreiros de candomblé e umbanda no Rio de Janeiro e outros estados. Apontado como dono dos caminhos e desbravador das florestas, bem como das oportunidades de realização pessoal, Ogum teria apresentado o ferro aos homens, possibilitando o cultivo da terra, bem como a forja das armas bélicas, como punhais, espadas e lanças. Por conta disso, Ogum é tido como um grande guerreiro, orixá soldado das lutas e demandas.

Para o devoto de São Jorge, o santo traz proteção, traz força e coragem para vencer as batalhas… No alvorecer do 23 de abril, todos cantam seu nome, vestem-se e armam-se com as roupas e as armas de Jorge.

“Jorge sentou praça
Na cavalaria
E eu estou feliz porque
Eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas
E as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés
E não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos
E não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos
E ao me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter
Para me fazer mal…”

(Jorge da Capadócia, Jorge Ben Jor)

Serviço

Período:  28 de abril até 31 de julho de 2011.

Galeria Mestre Vitalino – Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular
Rua do  Catete, 179 (metrô Catete), Rio de Janeiro.

Funcionamento:
Terça a sexta-feira, das 11 às 18h
Sábados, domingos e feriados, das 15 às 18h

Realização
Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP)

Informações
Setor de Difusão Cultural
(21) 2285-0441, ramais 204, 205 e 206

Anúncios

Uma resposta para “As muitas faces de Jorge

  1. Breno, que wordpress bacana. Retornarei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s