Arquivo do mês: maio 2009

Louis e Ella cantando “Dream a little dream of me”

Das minhas paixões pelo Jazz, eis Louis Armstrong e Ella Fitzgerald juntos cantando “Dream a little dream of me”. Inesquecível.

Anúncios

Voz & Companhia comemora 21 anos de carreira

Cena do espetáculo Circo Místico

Cena do espetáculo Circo Místico

Para celebrar os seus 21 anos de fundação, o Grupo Voz & Companhia lança o CD “Voz & Companhia Apresenta Circo Místico” com apresentações do espetáculo que deu origem ao álbum. A curta temporada será realizada na Fundação de Educação Artística, nos dois próximos finais de semana, a partir das 21h (sexta e sábado) e das 20h (domingo)

O espetáculo “Circo Místico” transformou-se num símbolo da carreira do Voz & Companhia por ter definido sua identidade como um grupo cênico-musical. Adaptação livre da obra “O Grande Circo Místico”, de Edu Lobo e Chico Buarque, a apresentação  reúne 43 artistas em cena, sendo 39 atores-cantores e quatro instrumentistas convidados.

Registro musical do espetáculo, o CD reúne canções inesquecíveis como “Beatriz”, “Sobre todas as coisas” e “Valsa dos Clowns”, com arranjos exclusivos de Marcinho Sant’Ana e interpretação das 43 vozes do grupo.

Circo Místico

Circo Místico

História

Em 1938, o poeta modernista Jorge de Lima publica o poema “O Grande Circo Místico”, em seu livro “A Túnica Inconsútil”. É a história da família circense, que busca fazer com que o poder e alma do Circo resista ao tempo.

Na década de 80, Naum Alves de Souza se inspira em Jorge de Lima para criar o roteiro do espetáculo do Ballet Teatro Guaíra, de Curitiba, com a trilha sonora composta por Chico Buarque e Edu Lobo. Essas canções passaram, depois, a fazer parte do repertório de artistas talentosos como Milton Mascimento e Zizi Possi.

Em 2001, o Voz & Companhia monta pela primeira vez o espetáculo cênico-musical, que marcaria a partir dali a trajetória do grupo.

Serviço
Voz & Companhia
Lançamento do CD ‘Voz &Companhia Apresenta Circo Místico’ e apresentação do espetáculo
Datas: 08, 09, 10, 15, 16 e 17 de maio de 2009 (sextas, sábados e domingos)
Horários: Sextas e sábados às 21h e domingos às 20h.
Local: Fundação de Educação Artística – Rua Gonçalves Dias, 320, Funcionários – Belo Horizonte.
Valor do ingresso: R$ 24,00 (inteira) e R$ 12,00 (meia)

Zuza Homem de Melo lança livro sobre bossa nova

O crítico Zuza Homem de Melo

O crítico Zuza Homem de Melo

O musicólogo, jornalista e produtor musical Zuza Homem de Melo participa no próximo dia 09, no Palácio das Artes, do lançamento do seu mais novo livro, Eis Aqui os Bossa Nova. Na avalanche de homenagens aos 50 anos do movimento que revolucionou a Música Popular Brasileira, a obra que ficou por muitos anos fora da estante reaparece revista por Zuza com o intuito de descrever as principais etapas da Bossa Nova, de seu surgimento ao aparecimento de artistas consagrados que marcaram para sempre a história da música no Brasil e no exterior.

Considerada uma biografia oral, Eis Aqui os Bossa Nova oferece ao leitor os depoimentos de 27 grandes nomes da MPB, como Vinicius,  Jobim, Baden,  Bôscoli, Nara Leão, Carlos Lyra, Chico Buarque, Caetano, Gil, Elis Regina e tantos outros. Enfim, todos aqueles que viveram e foram influenciados pela batida nova falam sobre as descobertas no período.
Um dos principais nomes da crítica e estudo da MPB, Zuza Homem de Mello ordena em seu novo livro o que aconteceu na década mágica compreendida entres os anos de 1958 e 1968, época em que a música nacional ganhou o mundo. Em entrevista no site da Editora Martins Fonte, ele conta que se inspirou no livro “Hear me Talkin to Ya”, de Nat Hentoff e Nat Shapiro, uma referência da história do jazz que apresenta o movimento musical norte-americano através da palavra de seus próprios criadores, como Armstrong, Ellinton, Benny Goodman, Coleman Hawkins e outros.
“Mesmo sendo colhidos em separado, os depoimentos de Eis Aqui os Bossa Nova foram montados como um bate-papo numa reunião entre eles, como se conversassem numa mesa de bar, o mesmo processo de Hentoff e Shapiro. As gravações estão intactas e preservadas em meu poder”, explica o crítico.

Divulgação

Divulgação

Zuza Homem de Mello

Zuza Homem de Mello estudou nos Estados Unidos, nos anos 1957 e 1958, na School of Jazz de Tanglewood, Massachussets, com o contrabaixista Ray Brown, na Juilliard School of Music de Nova York (musicologia) e na New York University (literatura inglesa). O autor tem mais de 40 anos dedicados ao garimpo e estímulo do que há de melhor na música brasileira. Zuza escreveu diversos livros, dentre os quais destacam-se A canção no tempo (com Jairo Severiano), A era dos festivais, João Gilberto e Música nas veias e a coordenação da Enciclopédia da Música Brasileira.
Sua carreira destaca-se ainda por diversos trabalhos como jornalista, assinando uma coluna de jazz para a publicação Folhas, colaborações para o Jornal do Brasil, revista Down Beat e crítico de música popular, durante dez anos, dO Estado de São Paulo. Nos anos 70 Zuza dirigiu a série de shows O Fino da Música, no Anhembí, que apresentou Elis Regina, Elizeth Cardoso, Orquestra Tabajara, além de artistas então em começo de carreira como João Bosco, Ivan Lins, Emilio Santiago e Alcione.
Zuza Homem de Mello produziu ainda discos com artistas novos e consagrados, como Orlando Silva, Jacob do Bandolim, Severino Araujo, Carolina Cardoso de Menezes, e, em 1994, Elis Regina, na caixa de três CDs “O fino da bossa”, com fitas de seu arquivo.